8 Coisas que Não Sabias Sobre o Reino da Suazilândia
8 Coisas que Não Sabias Sobre o Reino da Suazilândia

8 Coisas que Não Sabias Sobre o Reino da Suazilândia

É a última monarquia absoluta em África

A razão pela qual o rei da Suazilândia foi capaz de mudar o nome do país sem consultar o parlamento deve-se ao seu estatuto de monarca absoluto: é ele quem manda. Embora geralmente reine com consenso, o rei (conhecido como “o Leão”) é ainda uma das duas pessoas mais poderosas do país, enquanto que a sua mãe, a rainha mãe Ntfomb, é a segunda e é conhecida como “a Grande Elefanta”. Já que mãe e filho têm o mesmo poder, em teoria eles podem se consultar um ao outro sobre tomadas de decisão.

Existem muitos membros reais

Os reis da Suazilândia são poligâmicos. Mswati III tem 15 esposas e o seu pai, Sobhuza II (o monarca reinante mais longo da história) tinha 70. Isso faz com que haja um grande número de príncipes e princesas. Geralmente pode-se identificar um membro da família real no meio de uma multidão, porque têm o direito de usar penas vermelhas no cabelo.

Tudo pode ser expresso através da dança

A dança é fundamental para a identidade cultural dos Suázios, e espera-se que todos os membros da comunidade participem durante as celebrações culturais. Todos os anos, 10,000 jovens mulheres atuam para a Rainha Mãe no Umhlanga (Festival de Dança Reed), enquanto os homens têm a sua vez perante o rei no Incwala, que acontece durante o solstício de Verão. Não surpreendentemente, os dançarinos foram a parte mais importante das celebrações do 50:50.

Rinocerontes, rinocerontes, e mais rinocerontes

A Suazilândia faz fronteira com o Parque Nacional Kruger, e muitos dos animais do parque podem ser vistos nas suas reservas de vida selvagem. Cada um dos Cinco Grandes animais ou “Big Five” (elefantes, rinocerontes, leopardos, búfalos e leões) estão presentes, mas é a concentração de rinocerontes do parque que é mais impressionante. Na Reserva de Caça Mkhaya, é provável que se encontre um casal antes mesmo de passar pelos portões principais do parque. Os rinocerontes brancos são calmos o suficiente para serem abordados a pé, o que é um destaque emocionante de um safari com a África Exclusive.

As vacas valem o seu peso em ouro

Quer comprar um pedaço de terreno? Então terá de pagar ao chefe da aldeia em vacas. Está a planear casar? Então terá de pagar o preço da noiva em vacas. Na Suazilândia, uma vaca custa cerca de 500 dólares americanos, e se desejar casar com uma das (muitas) princesas, o preço pode chegar a 300 vacas.

As mulheres não devem comer miudezas

Na Suazilândia, é costume as mulheres não comerem a cabeça ou os pés de uma vaca. Acredita-se que se uma mulher comer o cérebro de uma vaca, tornar-se-á inteligente; se comer a língua, voltará a falar com o seu marido; e se comer os pés, fugirá. Pela mesma razão, os Suázios dizem que nunca se deve comprar um par de sapatos à sua mulher.

Não existiam prisões na Suazilândia antes de 1968

Pode ser uma surpresa, mas as prisões não existiam na Suazilândia antes de o país ter ganho a sua independência há 50 anos. A razão para tal é assustadora: aqueles que foram considerados culpados de crimes graves foram marchados até ao topo da Montanha Nyonyane (também conhecida como a Rocha da Execução) e simplesmente atirados do topo. A rocha é uma característica geológica proeminente, e agora um local de caminhadas popular.

O país ainda tem fortes laços culturais com a Grã-Bretanha

A Suazilândia foi anteriormente colonizada pelo Império Britânico e apesar da mudança do seu nome, ainda tem fortes laços culturais com o Reino Unido. O inglês é uma das línguas oficiais do país, juntamente com o Suazi. O rei foi educado em Sherborne, Inglaterra, e alguns dos costumes do país (como o chá da tarde) têm definitivamente um toque britânico.